* DÁ FORMA A UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL *

Juntos contra o sal!

Ontem o Dia Mundial da Alimentação foi celebrado pela Direção Geral da Saúde (DGS) dando especial destaque ao sal, um dos três pilares dos hábitos de alimentação inadequados, que mais contribui para o número de anos perdidos de vida saudável (15,8%), segundo dados da mesma organização.

O panorama nacional não é animador, segundo dados da DGS, 76,9% dos portugueses faz um consumo superior à medida máxima recomendada, até 5g de sal por dia (uma colher de chá).

Segundo palavras de Francisco George, Diretor-Geral da Saúde, “o consumo excessivo de sal é responsável pelos números alarmantes de hipertensão arterial e doença coronária em Portugal, e a melhor forma de acabar com este problema é através da prevenção, incutindo nas pessoas formas simples e práticas de o reduzirem na sua alimentação diária, dos seus filhos e netos.

Já Pedro Graça, Diretor do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável, avançou com a apresentação das medidas que devem desde já serem implementadas: modificação da oferta alimentar em espaços públicos (bares, refeitórios, instituições de saúde, etc…), monitorização de sal nos alimentos, promoção da literacia nos portugueses, esclarecendo sobre os perfis nutricionistas dos alimentos, quantidade de sal recomenda num prato de sopa ou refeição, por exemplo.

Alexandra Bento, Bastonária da Ordem dos Nutricionistas, deu ainda o exemplo do pão que, segundo a mesma, não fosse a quantidade de sal era considerado um alimento saudável. Acrescentou ainda, que um adolescente ao comer cerca de cinco pães por dia, que não é difícil acontecer nessa fase de crescimento, tendo em conta que cada pão tem cerca de 1,7g de sal, ao todo vai ultrapassar em larga escala o limite máximo recomendado das 5g diárias.

Houve ainda a assinatura de um protocolo entre o Ministério da Saúde e a Associações dos Industriais de Panificação, Pastelaria e Similares de Lisboa e do Norte (AIPL e AIPAN) e a Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares (ACIP) com vista à implementação das medidas desenvolvidas e propostas com vista à redução do consumo do sal dos portugueses, sendo os seus associados são responsáveis pela oferta de milhões de sopas e refeições em todo o país.

O evento de sensibilização para a redução do consumo de sal culminou e muito bem com a prova cega de três pães, com diferentes quantidades de sal, para que a assistência dissesse qual o pão que sabia melhor. Conclusão, a maioria aprovou o pão com menos sal, o que prova que afinal estamos mais preparados para aceitar e gostar de comida menos salgada, do que à partida podemos achar.

Juntos contra o sal?

It’s Up to You!

Raquel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code