* DÁ FORMA A UM ESTILO DE VIDA SAUDÁVEL *

Share Your Healthy Mood _ 4º Testemunho

image

18/06/2014

Idade: 25 anos

Profissão: Consultora de RH

1 – Num dia de semana, sem muito tempo, o que costuma tomar ao pequeno-almoço?

Com ou sem tempo, o meu pequeno-almoço quase nunca varia. Duas fatias de pão de espelta ou de kamut (farinhas sem trigo) com doce, e um café para acordar! Tenho sempre o pão congelado, e só sair do congelador e entrar diretamente na torradeira. É como se tivesse sido acabado de fazer. Opto por este pão porque sou intolerante à farinha de trigo (e a muitas outras coisas…)!

2 – Qual a refeição do dia que dá mais importância e porquê? 

O pequeno-almoço. Para além de ser a minha refeição favorita, é a que me dá mais energia para o resto do dia. É quando o meu corpo está mortinho por receber nutrientes, e é quando me sinto mais saudável.

3 – Costuma beber água ou outras bebidas às refeições? E durante o dia? 

Durante as refeições nunca bebo nada. No máximo um golinho ou dois de água, mas é muito raro. Durante o dia, bebo 1,5 a 2 litros de água.

4 – Qual o alimento que não passa muito tempo sem comer? 

Maçãs. São as minhas aliadas na luta contra a fome. Como a meio da manhã e em um dos lanches. Sempre cozida ou desidratada. Não posso comer crua (também sou intolerante a comida crua…).

5 – E qual a “relação” que tem com os legumes? Paixão, amor ou ódio? 

Paixão! Acompanho sempre o almoço com legumes. Geralmente os brancos ou os laranjas (courgete, chuchu, abóbora, cenoura, milho, beringela), cozidos ou salteados com um fio de azeite. Tempero sempre com ervas aromáticas! Todos os outros legumes, que eu adorava (brócolos, tomate, couve-flor, espinafres, leguminosas, etc) sou intolerante…

6 – Come apenas quando tem fome? 

Não. Tento não passar 3 horas sem comer. Como sempre a meio da manhã, e faço dois lanches durante a tarde. Sempre em quantidades pequenas. Mas já tenho um relógio biológico que sabe quando precisa de comida! E se ultrapasso muito estas horas fico muito fraca e com quebras de tensão.

7 – Faz exercício físico? Quantas vezes por semana? E qual/quais?  

Sim. De segunda a domingo descanso só um dia (normalmente o domingo). Já fiz ginásio, mas cansei-me. Neste momento estou a fazer o Insanity Workout, que aconselho vivamente. Estou viciada, a todos os dias às 7 da manhã já estou aos pulos em casa. O Insanity é um treino que é feito em casa e em que não é preciso material. Trabalhamos com o peso do corpo. Muito resumidamente, o treino consiste em aulas de 35 a 45 minutos no primeiro mês, e de 1 hora no segundo mês. É o ideal para quem quer perder peso e tonificar. Este artigo diz tudo o que precisamos de saber antes de começar o treino (http://www.lifestyleupdated.com/insanity-workout-review/) Vale mesmo a pena!

8 – Quando está num pico de stress, pensa, agora punha tudo de lado e ia … (fazer o quê)? 

Comer tudo o que me faz mal! Infelizmente o stress é o meu pior aliado na minha alimentação. Quando me sinto stressada só penso em comer hidratos, açúcares e chocolates… Tenho vindo a lutar contra isso, mas confesso que nem sempre é fácil… Alguma sugestão?

Resposta It’s Up to You

Muito Obrigado pela sua partilha!

E que espetáculo é o seu interesse em praticar e manter uma Alimentação equilibrada! Bem sei, pelas respostas que deu ao nosso questionário, que sofre de algumas intolerâncias alimentares e daí, também a necessidade de aprofundar o tema para melhorar o seu bem-estar. E ainda bem, porque apesar de por vezes se sentir limitada na escolha alimentar, o mais importante é saber tirar partido de algo que nos acontece de (menos bom) mas que nos desperta para mudanças de hábitos alimentares que em tudo, nos fazem sentir muito melhor e perceber que o corpo responde sempre com coerência àquilo que recebe J.

Comecemos pelo seu pequeno-almoço (PA), ótimo e nutritivo. O pão muito bem escolhido pela sua composição, já que sendo isento de glúten lhe permite uma melhor digestão. No entanto, e porque variar é um dos princípios fundamentais de uma Alimentação saudável, além da sua escolha, aconselharia a alternar, introduzindo uma fonte proteica, por ex. ovo cozido ou mexido, requeijão (tem muito pouca lactose!) ou fiambre de perú, 1 fatia de pão e uma fruta fresca (caso exista alguma que tolere) ou maça ou pêra cozidas, chá ou café.

Relativamente ao exercício físico que pratica é sem dúvida uma excelente opção para quem se “queixa” de não ter tempo para ir ao ginásio, em casa pode exercitar o corpo com as vertentes essenciais, trabalho aeróbico e de força com o peso do próprio corpo, muito interessante!

Por fim, deixo uma dica para a última questão, que percebi ser por vezes razão de conflito interior entre a vontade (quase incontrolável) de comer e a razão. Mesmo em situações/momentos de “stress” é possível controlar a ansiedade e evitar que se vingue em alimentos hipercalóricos, desencadeadores de mais ansiedade. Fique com alguns exemplos de alimentos apaziguadores e que mantêm o estado de humor: amêndoas, nozes, caju, sementes diversas, bebida de côco ou bebida de amêndoa, bagas de goji, ovo cozido, iogurte natural e chocolate preto (pelo menos 70%) de cacau. Experimente fazer uma mistura de frutos secos (entre os que pode comer e mais aprecia) com bagas de goji que são doces e satisfazem a tal “necessidade” de açúcar que o “stress” acusa. Esta mistura, além de repor o seu equilíbrio garante saciedade. Outra alternativa, 1 ovo cozido, que sendo uma fonte proteína de elevado valor nutricional garante igualmente saciedade ou, não satisfeita, depois do ovo, coma um quadrado de chocolate preto, parece estranha a combinação, mas é muito interessante porque combina a proteína com o hidrato de carbono (açúcar) em quantidade q.b.. Permite saciar e satisfazer o “desejo” em simultâneo. Em boa verdade ninguém melhor do que nós conhece o seu corpo, é importante que continue neste caminho de reconhecimento das suas intolerâncias alimentares. No entanto deixo-lhe uma boa notícia, a intolerância alimentar pode surgir e também desaparecer, por isso nunca deixe de experimentar (sempre em pequena quantidade e com moderação) os alimentos que lhe causam intolerância porque com o tempo o seu organismo poder-lhe-á fazer uma boa surpresa e quem sabe não voltará a comer alguns dos legumes que referiu que tanto gosta.

Continuação de uma Vida Boa :-)!

It’s Up to You!

Joana Ávila _ Nutricionista

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

code